Carnaval com a Terrazul no Sambódromo!

Terrazul com o pé na avenida!

Bons ventos são aqueles que trazem aos meus ouvidos essa mistura mágica dos sons do pandeiro, com o banjo, cavaco, tantã e repique.
E também um canto que ecoa em todos os cantos, acompanhado de palmas que ditam o ritmo da batida dos nossos corações e em alto e bom tom, transforma em enredo o sonho de um brasileiro.
 

SAMBA ENREDO 2018
Compositores: Sereno, Marcelo Casa Nossa, Darlan Alves, R Silva, R Minueto, Vitor Gabriel e Gui Cruz

Nesse terreiro de bamba
Quero mais é sambar…
Sou Mancha Verde… o show vai continuar…
Sua história, é o meu carnaval
Obrigado do fundo do nosso quintal

Debaixo da tamarineira
Um lindo sonho se torna real
Pandeiro, cavaco, tantã e repique
No puro balanço, um banjo imortal
Na benção da nossa madrinha
Vou caciqueando na avenida
Nesse castelo de cera
Bebeto é o rei, está numa boa
Se arruma “Irene” que o mapa da alegria
Hoje é na terra da garoa

Oxóssi caçador, o dono da mata
É força, axé… São Sebastião!
Okê! Okê arô! Ao dono da mata
Meu samba é fé… é religião!

E na batucada dos nossos tantãs
Sublime poesia invade as manhãs
Nesse palco iluminado
Nosso grito, uma canção de amor
Um canto de felicidade que ao mundo encantou
A amizade… eternizou um laço de união
Somos verdade
Quero chorar o seu choro
E ver lá no céu seu sorriso
Valeu por você existir AMIGO

ABERTURA: A ORIGEM

Talvez a nenhum outro grupo, o termo “samba de raiz” se aplique tão bem quanto ao Fundo de Quintal, afinal sua origem está muito ligada a uma tamarineira localizada na sede do bloco Cacique de Ramos, onde o grupo costumava se reunir, juntamente com outros bambas para intermináveis rodas de pagode.

Dizem os mais antigos, que Dona Conceição, mãe de Bira e Ubirany e uma das primeiras filhas de santo de Mãe Menininha do Gantois, recebeu a tarefa de colocar alguns preceitos e patuás na árvore, para que abrissem os caminhos espirituais do bloco e de todas as pessoas que tivessem fé e talento. O grupo foi o primeiro a ser agraciado, tornando-se um dos maiores movimentos culturais não só do Rio de Janeiro, mas do Brasil. Rapidamente a fama de milagrosa da tamarineira se espalhou e hoje muitos artistas atribuem seu sucesso ao contato que tiveram com a árvore.

Foi uma época de ouro. Quem frequentou as rodas de samba do Cacique pode presenciar a primeira formação do grupo, composta por grandes músicos que inovaram a forma de fazer samba, com a introdução de novos instrumentos criados por eles mesmos, e graças a genialidade do Fundo, o tantã, o banjo com braço e afinação de cavaquinho e o repique de mão passaram a ser elementos obrigatórios nas mesas de pagode do Brasil afora.

O Fundo nasceu com variação rítmica, melódica e estilo próprio de fazer samba, um pagode onde a qualidade era a principal marca registrada.


1º SETOR: DO INÍCIO DO GRUPO AO RECONHECIMENTO

Samba de qualidade, cerveja gelada e futebol, uma mistura perfeita que atraia na noites de quarta, no Cacique de Ramos, um grande número de músicos iniciantes e consagrados, jogadores de futebol e personalidades da TV, o que ajudou bastante para que a fama do Fundo de Quintal se espalhasse por toda a cidade do Rio de Janeiro.

Quis o destino que o caminho da “cria” do Cacique se encontrasse com o da grande estrela mangueirense Beth Carvalho, que deu o pontapé inicial na carreira do grupo, convidando-o para uma participação em seu disco. Um presente que só uma madrinha poderia dar.

Não demorou muito para que o grupo lançasse o seu primeiro disco “Samba é no Fundo do Quintal”, que foi muito bem aceito pelo público e crítica.

O romantismo com estilo próprio e a forma verdadeira e bem humorada de transformar fatos cotidianos do subúrbio carioca em músicas, caíram rapidamente no gosto popular.

Nos próximos discos alguns sucessos como “Gamação Danada”, “Bebeto Loteria”, “Boca Sem Dente” e “Caciqueando”, explodiram nas rádios, a agenda de shows aumentou e o Fundo de Quintal se consolida como um dos grandes nomes do samba brasileiro.

Dos pagodes da vida ao reconhecimento, a trajetória deste grupo é o enredo do meu samba.


2º SETOR: O SAMBA É MINHA RELIGIÃO

A década de 80 consolidou o grupo como uma verdadeira máquina de fazer sucessos. Nas rádios, shows e nas rodas de pagode, as músicas do Fundo de Quintal eram a trilha sonora obrigatória aos amantes do samba.

Sem abandonar suas características, o repertório ia desde o empolgante “Castelo de Cera” ao inesquecível “E Eu Não Fui Convidado”. O pagode crescia no Brasil e o Fundo de Quintal era o seu maior representante.

Ô Irene, Ô Irene!

Quem nunca cantou alto este refrão batendo na palma da mão, não aproveitou os bons momentos que só o samba pode proporcionar ou diz isso “Só Pra Contrariar” …

O grupo encontrou a fórmula certa de cativar o público, achou o “Mapa da Mina” e o tesouro estava escondido na terra da garoa, pois foi em São Paulo onde o Fundo encontrou uma grande legião de fãs e seguidores que lotavam seus shows, esgotavam seus discos nas prateleiras e fizeram que a sua “Seleção de Pagodes” estourasse nas rádios e alcançasse os primeiros lugares nas paradas de sucesso.

Guerreiros que tem a música como arma poderosa para vencer a tristeza e que fazem do samba a sua religião. E por falar em religião …

Okê! Okê Arô!

A fé do grupo vem de Oxóssi e São Sebastião é seu santo protetor.

Legítimos descendentes do povo que expressava seus sentimentos pelo toque do tambor, exalta sua negritude da forma mais sublime e serena…

Através da batucada vinda diretamente do fundo do nosso quintal a vindo diretamente do fundo do nosso quintal.

3º SETOR: A CONSAGRAÇÃO. SOMOS VERDADE!

A década de 90 foi onde o grupo teve a sua consagração e virou unanimidade, colheu os frutos de sua dedicação e conquistou definitivamente seu espaço entre os grandes nomes da música brasileira.

Um samba verdadeiro, que nasce da alma, sem pele e sem cor, com simplicidade e não sendo vulgar, talvez seja essa a receita do sucesso do grupo que atravessa décadas e permanece moderno até os nossos dias.

O Fundo de Quintal sempre captou o que o povo gosta de ouvir, predestinados, tinham a proteção de todos os santos para brilharem num “Palco Iluminado”, onde mais do que um simples grupo musical, tornaram-se porta voz de cada pessoa admiradora do seu talento.

Afinal, se a música expressa emoções, o samba é o “Nosso Grito”.

Hoje a minha escola é “Só Felicidade”, pois fala de um grupo musical que, ao longo da sua trajetória, teve em suas mais diversas formações várias personalidades do mundo do samba.

Salve Neoci, Almir Guineto e Mário Sérgio, que mesmo partindo para um plano superior, estão imortalizados em nossas lembranças, valeu por vocês existirem, amigos!

Salve Jorge Aragão, Arlindo Cruz, Sombrinha e Ronaldinho parceiros que escreveram seus nomes na história do grupo com a mesma caneta que ajudaram a compor obras que até hoje cantamos.

Salve Cléber Augusto, um dos autores da música que responde a pergunta daqueles que desejam saber qual o segredo que uniu, ao longo desses 40 anos, vários bambas do mundo do samba em torno de um sonho chamado “Fundo de Quintal”.

A Amizade !

A mesma música que tornou-se uma espécie de hino para a família Mancha Verde, pois somos verdade e não escondemos a saudade dos nossos irmãos que se foram, mas que vivem em nossas mentes e corações, porque esse sentimento é eterno como um samba bom e nem mesmo a força do tempo irá destruir.


4º SETOR: 40 ANOS DE PAGODE E O SHOW TEM QUE CONTINUAR

O significado do Fundo de Quintal para o samba é enorme e facilmente observado pela quantidade de prêmios importantes que tiveram ao longo dos anos, no Brasil, com as 18 conquistas do “Prêmio da Música Brasileira” e também no exterior, com o Grammy Latino.

Mas, o maior troféu conquistado pelo grupo foi o reconhecimento e o carinho do público nos shows que fizeram de norte a sul do pais e também pelo mundo, onde nos palcos japoneses, africanos, americanos e europeus, puderam mostrar um pouco da sua arte.

Baluartes do samba, talentos consagrados ou no início de carreira, mestres da MPB, não importa … inúmeros foram os parceiros musicais que o Fundo teve o orgulho de trocar experiências melódicas nessas quatro décadas de samba, o que mostra que mesmo com o passar dos anos continuam com a mesma disposição de quando começaram.

Olha meu amor, esquece a dor da vida, pois hoje não há espaço para a tristeza, pois hoje tem show do Fundo de Quintal no Anhembi, por isso, firme o pagode na palma da mão, deixe-se levar pela batida dos repiques, pandeiros e tantãs, sinta a energia dos grandes mestres do samba e participe dessa festa que não tem hora pra acabar.

Sorriam, pois o “Show Tem Quem Continuar”!


 
NOSSA PARTICIPAÇÃO SERÁ NA ALA 18 – TURNÊS PELO MUNDO
Em suas turnês o Fundo de Quintal sempre é sucesso absoluto. O grupo já se apresentou na Europa, Japão, Estados Unidos e também na África.





INCLUSO:
- Participação do desfile em São Paulo
   CONCENTRAÇÃO AS 22:30 NA QUADRA DA ESCOLA (TRANSPORTE ABAIXO INFORMA HORÁRIO E PONTO DE ENCONTRO).
- Fantasia pré-selecionada pela agência 
- Ensaios EM QUADRA
  (Toda quinta-feira e domingo - Endereço: Av. Nicolas Boer, 550 - Barra Funda, São Paulo - SP)
- Ensaios TECNICOS NO SAMBÓDROMO DO ANHEMBI
   ** 12/01
   ** 20/01
   ** 02/02
***** 21h NO SAMBÓDROMO ( Estacionamento pago a parte )
- Transporte (22:00 no Terminal Barra Funda)
- Lanche

R$ 360,00 | 3x R$120,00
 

Pré-reserva

Faça sua pré-reserva para registrar seu interesse neste pacote. A disponibilidade de lugar está sujeita a confirmação pela Equipe Terrazul